A prática de atividades físicas pelo diabético

Muitas pessoas diabéticas acreditam que exista certo risco ao se praticar atividades físicas, pois já que o músculo necessita de mais glicose durante a atividade física, pode-se não ter esta glicose em quantidade suficiente circulando no sangue, ocasionando, desta maneira, uma hipoglicemia.

Isto não é verdade. Os diabéticos podem (e devem) praticar, sem qualquer risco, exercícios regulares, mas devem procurar sempre uma orientação médica, a fim de que seja possível monitorar os níveis sanguíneos de glicose e regular a dosagem de insulina de acordo com as atividades físicas realizadas no dia. Quando o diabético for realizar uma atividade física, ele deve diminuir a quantidade de insulina no período em que for praticar a mesma, para se evitar, desta maneira, que ocorra uma hipoglicemia indesejada.

Benefícios da prática de exercícios ao diabético

Aumento da captação de glicose pelo músculo: Durante a atividade física, os músculos captam glicose mais eficientemente, a fim de produzir energia para a contração muscular e garantir os níveis de glicose adequados. A atividade física estimula a produção de insulina, o que é benéfico para o diabético (no caso dos diabéticos do tipo 2).

Aumento da sensibilidade celular à insulina: A atividade física eleva a sensibilidade celular em 40%, mas com efeito limitado de 2 a 3 dias.

Captação da glicose no período após o exercício: Após o término da atividade, a musculatura continua captando glicose de forma mais eficiente. Mas, neste momento, o objetivo não é mais fornecer energia para o trabalho muscular e sim fornecer substratos para recompor o músculo que foi utilizado durante o exercício. Este fenômeno pode ser responsável por hipoglicemias até 48horas após o término da atividade.

Diminuição da gordura corporal: 90% dos diabéticos tipo II são obesos e a gordura tem íntima relação com o aumento da resistência celular à insulina. Por isso, recomenda-se a prática de exercícios a fim de que a quantidade de gordura seja reduzida e, conseqüentemente, diminua a resistência celular a insulina. As modalidades mais indicadas são as predominantemente aeróbias, isto é, aquelas que são realizadas em um ritmo natural e constante. Como exemplos de tais atividades temos a natação, a caminhada, o ciclismo, a hidroginástica, aulas de dança, dentre outros.

Incremento das funções cardio-respiratórias: Dentre elas, diminuição da freqüência cardíaca e pressão arterial de repouso e aumento do fluxo e distribuição de sangue, do glicogênio muscular e hepático, da freqüência cardíaca máxima e da massa muscular, entre outros.

Redução dos fatores de risco de doenças coronarianas: A atividade física regular proporciona diminuição do colesterol de baixa densidade e aumento do colesterol de alta densidade, assim como diminuição da taxa de triglicérides. Níveis elevados de colesterol, pressão arterial elevada, fumo e inatividade física são os quatro maiores fatores de risco de doenças coronarianas.

Duração do exercício

Preconiza-se o mínimo de 20 minutos de exercícios, uma vez que o pico de captação de glicose pelo músculo ocorre entre os primeiros 14 a 20 minutos.

CUIDADO!

A intensidade do exercício diz respeito à quantidade de esforço que o organismo é submetido durante a prática do mesmo. Quanto mais intensa uma atividade é, seja em velocidade ou em força, mais anaeróbio o exercício se torna e, portanto, mais inadequado para o diabético. Por isso, um diabético deve praticar atividade física, mas deve tomar estes cuidados para não fazer com que este benefício se torne um malefício.

Dicas de alimentação para o diabético praticante de exercícios físicos

Se você for usuário de insulina, as atividades físicas não devem coincidir com o horário do pico da insulina;

Recomenda-se o consumo de 15 a 30g de carboidratos (1 maçã + 3 bolachas de água e sal + 1 copo de suco de fruta, por exemplo) antes da prática do exercício;

Se for um exercício de longa duração, recomenda-se o consumo de carboidrato durante a prática do exercício (1 barra de cereal, por exemplo);

Como em toda e qualquer prática de exercício, deve haver uma oferta hídrica adequada, portanto, o consumo de líquidos (água e sucos) deve ser aumentado.

 

Fontes:
– http://www.diabetes.org.br/colunistas-da-sbd/diabetes-tipo-1/1990
– http://veja.abril.com.br/noticia/saude/diabeticos-podem-e-devem-praticar-exercicios-fisicos
– http://www.slideshare.net/ladufg/exercicio-fsico-no-controle-do-diabetes-mellitus

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.