A Catarata e a Relação com o Diabetes

A catarata é uma lesão ocular que atinge e torna opaco o cristalino (lente situada atrás da íris cuja transparência permite que os raios de luz o atravessem e alcancem a retina para formar a imagem), o que compromete a visão. Saiba qual a sua relação com o diabetes, como ela ocorre, quais são os seus sintomas e como ela pode ser tratada.

Sintomas:

catarata e olho normal

Como os raios luminosos não conseguem atingir plenamente a retina onde se situam os receptores fotossensíveis, o portador de catarata tem dificuldade para enxergar com nitidez.

No início da lesão, a pessoa vê como se estivesse com a lente dos óculos embaçada ou com uma névoa diante dos olhos. Com a evolução do quadro, porém, passa a enxergar apenas vultos.

Diagnóstico:

O diagnóstico de catarata é feito pelo oftalmologista. Valendo-se de um exame minucioso, ele verificará se o cristalino possui alguma lesão (aparência de véu esbranquiçado nos olhos.

Tratamento:

O único tratamento para catarata é o cirúrgico. O objetivo da cirurgia – simples, rápida e feita sob anestesia local – é substituir o cristalino danificado por uma lente artificial que recuperará a função perdida.

O cristalino pode ser retirado inteiro ou por facoemulsificação (um aparelho tritura e aspira o cristalino), que tem a vantagem de exigir corte menor e menos suturas. A cirurgia da catarata exige cuidados pós-operatórios como qualquer outra intervenção cirúrgica.

Relação com o Diabetes:

O diabetes é um fator de risco conhecido para o desenvolvimento da catarata.

Já se tem descrito em várias pesquisas a maior prevalência e frequência de catarata em pacientes diabéticos. Isto se dá principalmente devido aos altos níveis glicêmicos nestes pacientes.

Estudos mostram que alguns fatores contribuem para o surgimento de catarata em pessoas com diabetes.

Os fatores mais frequentemente relatados são :

– Diabetes tipo 1(diabetes auto-imune, na qual os pacientes são insulino-dependentes).
– O tempo de duração do diabetes.
– Idade avançada no momento do diagnóstico do diabetes.
– Retinopatia diabética avançada.
– Uso de diuréticos.
– Controle metabólico inadequado.

A relação entre o diabetes tipo 2 e o surgimento da catarata pode ser mais difícil de se elucidar.

Estes pacientes com diabetes mellitus tipo 2 também podem apresentar catarata relacionada à idade (catarata senil ). Além disto, dificulta também a correlação o fato do passado glicêmico e a duração da diabetes não serem bem documentados.

Pacientes com diabetes mellitus tipo 1 geralmente apresentam o tempo de duração da disfunção e o controle metabólico ( controlecontrole glicêmico) melhor documentados.

O importante é que todos os pacientes portadores de diabetes  façam controles oftalmológicos periódicos e mantenham sempre um bom controle glicêmico, a fim de se evitar o desenvolvimento da catarata.

Caso seja identificada a catarata , medidas de diagnóstico e tratamento devem ser instituídas , inclusive a avaliação do melhor momento para a realização da cirurgia de catarata com implante de lente intraocular.

É muito importante também que sejam pesquisadas e tratadas outras alterações oculares que podem ser identificadas , entre elas a retinopatia diabética e o glaucoma.

 

Fontes:

– http://drauziovarella.com.br/doencas-e-sintomas/catarata/

– http://olhoscomsaude.blogspot.com.br/2008/10/catarata-e-diabetes-mellitus-tipo-1.html

4 Comentários


  1. Não estou enxergando direito a curta distância tenho Diabetes tipo 2

    Responder

  2. Prezados senhores
    No ano passado passei por uma cirurgia de catarata no IOR hospital de referencia em Recife.
    houveram erros durante a cirurgia,soube quando mudei de profissional e hospital
    Depois da cirurgia voltei na médica e estava com inchaço na córnea,.
    Este ano quando procurei outro hospital descobri através do médico que na cirurgia meu olho foi furado e vestígios de um erro,dentro da gelatina do olho ficaram pedaços de alguma coisa que fica passando na frente do olho.Na hora da cirurgia a pupila fechou de repente e a médica tentou abrir a com algum instrumento,e depois usou adrenalina e me perguntava se eu estava bem.Foi grande a admiração do médico ele falou que usar adrenalina é muito perigoso.Até hoje vejo alguma coisa passando na minha vista.
    Tive que usar um antibiótico pois tinha dentro do olho uma inflamação,depois foram feitos exames não existia mais a inflamação,Graças a Deus.
    Não tenho mais coragem de fazer no outro olho que já está com catarata.
    Obrigada pela atenção.Abraço.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.