Retinopatia Diabética: Exames Regulares ajudam na prevenção

Através da realização de um exame oftalmológico bastante comum é possível se fazer o diagnóstico e, principalmente, acompanhar de perto a evolução de diversas doenças, entre elas o Diabetes Mellitus.

A Retinopatia Diabética é uma das principais causas de perda da visão nos países desenvolvidos. Ela disputa com os traumas oculares, o glaucoma, doenças maculares e a catarata o primeiro lugar no mundo como causa de cegueira adquirida. E ao lado da nefropatia e da neuropatia, ela participa da tríade de complicações desenvolvidas em decorrência do diabetes mal controlado.

As estatísticas mostram que 60% dos pacientes diabéticos acabam desenvolvendo a retinopatia após pelo menos 15 anos do diagnóstico do diabetes, sendo que os primeiros sinais vêm após 3 a 5 anos. O edema de retina e as áreas de má circulação sanguínea são dois sintomas característicos da retinopatia diabética. Estes dois problemas podem ser detctados no exame de fundo de olho e são bem melhor evidenciados em fotografias da retina com a utilização de contraste, exame este chamado de angiofluoresceinografia.

Como o exame de fundo de olho é feito:

Exame de Fundo de Olho
Exame de Fundo de Olho

 

A oftalmoscopia (ou exame do fundo de olho) é de fácil aplicação e não requer muito tempo para ser realizada. Geralmente ele é realizado por um médico oftalmologista, mas outros especialistas também podem realizá-lo, como o clínico- geral, o endocrinologista e o neurologista, embora eles tenham o intuito de avaliar outros aspectos da saúde do paciente, como os relacionados à hipertensão, ao diabetes e também à pressão intracraniana.

Exame de fundo de olho em consultório
Exame de fundo de olho em consultório

 

• Com a ajuda de um aparelho, que contém uma lente especial, capaz de aumentar a imagem diversas vezes, o médico observa as condições do humor vítreo (líquido do olho), bem como as estruturas do segmento posterior do olho (cabeça do nervo óptico, retina, vasos retinianos e coroide). O principal aparelho utilizado pelo clínico para realização do exame de fundo de olho é o oftalmoscópio direto; já o oftalmologista se vale de outros aparelhos, como o oftalmoscópio indireto e a lâmpada de fenda. O primeiro proporciona uma maior ampliação da imagem. O segundo, mesmo tendo uma ampliação menor, permite a também visualização da periferia da retina.

Exame de fundo de olho com aparelho especial
Exame de fundo de olho com aparelho especial

 

• Nem sempre a dilatação da vista é necessária no exame de fundo de olho. A análise da porção posterior da retina (câmara posterior) de pacientes sem problemas oculares pode ser feita sem a dilatação. Sem dilatar a visão, o médico consegue ver a retina aumentada, mas a imagem não é tridimensional (com profundidade). Isso é importante somente em alguns casos, onde já se consegue ter a evidência de retinopatia.

• O médico pode pingar gotas de colírio (sem dilatar a visão) nos olhos do paciente para que ele possa ver melhor as condições do globo ocular.

Tratamento da Retinopatia Diabética:

Tratamento - Retinopatia
Tratamento – Retinopatia

 

Atualmente não existe nenhum tratamento definido que possa garantir 100% a cura  ou a recuperação da função da retina em pacientes que apresentam esta complicação. Pode-se reduzir (e muito) a incidência e a severidade da retinopatia com um bom controle glicêmico. É de consenso geral que se a glicemia for mantida o mais próximo do normal, a evolução da retinopatia diabética pode ser retardada ou até bloqueada.

Vários tipos de medicamentos e dietas especiais têm sido utilizados na tentativa de controlar a retinopatia diabética, porém o tratamento de fotocoagulação com laser é o método terapêutico mais difundido e consagrado no tratamento da retinopatia diabética.

É o tratamento que oferece melhores condições para retardar ou bloquear a evolução da doença e manter estabilizada a capacidade visual. Com a aplicação do laser, consegue-se coagular e destruir áreas com distúrbios circulatórios, responsáveis por edemas na retina e também coagular áreas de má circulação de sangue (isquemias retinianas), além de prevenir a proliferação de novos microvasos, responsáveis por hemorragias na retina. Com a destruição destas áreas isquêmicas, diminui-se as necessidades metabólicas da retina.

Tratamento - Retinopatia
Tratamento a laser – Retinopatia

Portanto, o exame oftalmológico periódico do fundo de olho é fundamental na prevenção, no diagnóstico e no tratamento das lesões retinianas, pois mesmo nos casos onde a visão é normal, a retinopatia pode estar presente. É muito importante também que o diabético mantenha o seu controle glicêmico em dia, pois quanto mais próximo da normalidade, menores são as chances de se desenvolver esta complicação do diabetes.

Fontes:
– http://revistavivasaude.uol.com.br/saude-nutricao/43/artigo45581-2.asp
http://www.medicinanet.com.br/conteudos/revisoes/1544/fundo_de_olho.htm
– Jornal Dia-a-Dia – número 2-ano 1- abr/mai/jun/1995

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.