Como o stress interfere no seu controle glicêmico

O stress ocorre quando seu organismo reage mediante alguma pressão.  A origem do stress pode ser física, devido ao cansaço excessivo ou alguma doença, ou então emocional, devido, por exemplo, a problemas no casamento, trabalho, saúde, ou financeiros. Em nós, diabéticos, o stress do dia-a-dia pode causar o descontrole se não soubermos como lidar com ele. A seguir, mostraremos como o stress interfere no seu controle glicêmico.

Quando o stress ocorre, o nosso organismo se prepara para agir. E essa preparação faz com que os níveis hormonais aumentem muito. O efeito em cadeia faz com que aumente a energia armazenada – glicose e gordura – disponível para as células.  Então, estas células são preparadas para ajudar o organismo a se livrar do “perigo”.

Em pessoas com diabetes, essa reação não funciona tão bem. Não é sempre que a insulina é capaz de deixar a glicose extra que circula no sangue entrar nas células, logo a glicose vai se acumulando no sangue, elevando  desta forma os níveis da mesma.

Muitas vezes o stress não tem um tratamento a curto prazo. Por exemplo, no caso de uma cirurgia, pode-se levar alguns meses para que a recuperação ocorra. Os hormônios do stress (por exemplo, o cortisol), cuja função é “lidar com o perigo” a curto prazo, acabam permanecendo em nosso organismo por um longo período. Como resultado, o stress de longo prazo pode aumentar muito os níveis de glicose no sangue, causando uma descompensação no controle glicêmico.

Muitos casos de stress têm origem emocional. Assim como o stress físico, o stress mental pode também ser de curto prazo – como por exemplo, ficar preso no trânsito por algumas horas. Pode ser também de longo prazo, como por exemplo trabalhar com um chefe muito exigente, ou então ter que cuidar de uma pessoa muito doente, ou então, estar passando por uma crise financeira.

No stress emocional, o organismo libera  hormônios que causam uma reação inflamatória sem ter uma “causa física” aparente para combater, o que pode gerar problemas graves, como por exemplo, desde uma gastrite ou úlcera até doenças auto-imunes (diabetes, hipotireoidismo, vitiligo, lúpus). Neste caso, não existe nada que resolva quando o “inimigo” é a própria cabeça. Por isso, deve-se tratar este stress, com exercícios de relaxamento, psicoterapia, além da prática de atividades físicas e de atividades intelectuais prazerosas.

Segundo estudos realizados por cientistas, os efeitos do stress em pessoas com diabetes tipo 1 são mais complexos. Enquanto na maioria das pessoas o stress mental eleva os níveis de glicose, em outros, os níveis podem baixar de repente. Nas pessoas com diabetes tipo 2, o stress mental somente aumenta os níveis de glicose.

Já o stress físico, como uma doença ou dano físico, ocasiona aumentos nos níveis de glicose no sangue em ambos os tipos de diabetes (tipo 1 ou tipo 2).

Efeitos do tratamento com terapias de relaxamento em diabéticos

relaxamento2

Para algumas pessoas com diabetes, controlar o stress com uma terapia de relaxamento pode ajudar significativamente. Pode-se observar uma melhora, muito mais nas pessoas com diabetes tipo 2 do que nas com diabetes do tipo 1. Essa diferença faz sentido.

Em pessoas com diabetes do tipo 2, os hormônios do stress bloqueiam a liberação da insulina pelo pâncreas, logo, tratar o stress faz com que se recupere a função do mesmo, restabelecendo-se imediatamente o controle glicêmico.

Já em diabéticos do tipo 1, o pâncreas não fabrica a insulina, logo a redução do stress não tem o mesmo efeito que nos do tipo 2. Porém, reduzir o stress ajuda (e muito) a diminuir a liberação do cortisol, e monitorando-se a glicemia constantemente e administrando-se a dosagem correta de insulina, consegue-se chegar a um equilíbrio glicêmico.

O Stress e a Personalidade

nem aí 2

Todos nós temos algum controle sobre o nosso stress. Podemos aprender a relaxar e reverter a resposta hormonal do nosso organismo ao stress. E assim, podemos mudar nossa vida para aliviar a origem do stress do dia-a-dia.

O que ajuda algumas pessoas a se livrarem do stress é saber como enfrentá-lo. Algumas pessoas tomam atitudes para resolver um determinado problema. Elas perguntam a si mesmas: “O que posso fazer a respeito deste problema?” Desta forma, elas tentam mudar a situação para livrarem-se do stress.

Já outras pessoas preferem aceitar o problema como aprovado, conformando-se. Elas dizem a si mesmas: “Apesar de tudo, esse problema nem é tão ruim assim”, e desta forma minimizam o mesmo.

Geralmente, as duas maneiras de enfrentar o stress são bastante úteis. As pessoas que as usam, na ocorrência de um stress emocional, tendem a diminuir os seus níveis de glicose no sangue.

Aprendendo a Relaxar

relaxamento

Exercícios de respiração: Sente ou deite e descruze os braços e pernas. Respire profundamente. E depois solte o ar o máximo que puder. Inspire e expire novamente, desta vez relaxando os músculos intencionalmente enquanto expira. Respire e relaxe de 5 a 20 minutos. Faça esse exercício pelo menos uma vez por dia.

Terapia de relaxamento progressivo: Nessa técnica, a qual você pode aprender com pessoas especializadas, você enrijece os músculos, e depois relaxa.

Exercícios Físicos: Outra maneira de relaxar seu corpo, é através de ampla variedade de movimentos. Há 3 maneiras de se soltar através de movimentos circulares, alongamento e também sacudindo-se vigorosamente os braços e pernas. Para deixar estes exercícios mais divertidos, se movimente ao som de uma música que lhe agrade.

Substitua os maus pensamentos por bons pensamentos: Cada vez que você tiver maus pensamentos, tente substituí-los por algo que o(a) deixe feliz ou orgulhoso(a). Ou então memorize um poema, uma oração, ou uma música, e use-os para substituir um mau pensamento.

Qualquer método que você escolher para relaxar, pratique-o sempre. Assim como praticar um novo esporte pode levar semanas ou meses, aprender a relaxar também leva tempo. Mas, consegue-se atingir excelentes resultados!

Outras Maneiras de Reduzir o Stress Mental

nem-ai

Você deve ser capaz de se livrar de alguns stresses da vida. Por exemplo, se o trânsito o (a) incomoda, tente achar um novo itinerário ou até morar mais perto do trabalho, ou sair mais cedo de casa e evitar horas de maior congestionamento. Se há algum mau entendido entre você e um parente ou amigo, você pode dar o primeiro passo para resolver esse problema.

Alguns problemas que dão origem para o stress jamais irão acabar, não importa o que você faça. Ter diabetes é um deles. Ainda assim, há maneiras de reduzir o stress de conviver com o diabetes. Grupos de apoio e associações podem ajudar bastante. Conhecer outras pessoas na mesma situação ajuda a não se sentir sozinho(a). Você pode aprender com outras pessoas algumas dicas de como lidar com os problemas.

Há ainda outros meios de evitar o stress. Algumas vezes, adicionar atividades positivas à sua vida pode ajudar. Você pode começar a praticar alguma atividade física ou entrar para algum time esportivo. Você pode aprender a dançar ou entrar para um clube de dança. Pode começar um novo hobby ou aprender um novo ofício. Você pode sentir-se mais útil, preenchendo algum vazio emocional, sendo voluntário em hospitais, creches, asilos, etc…

Lidar diretamente com o stress relacionado com diabetes também pode ajudar. Pense sobre os aspectos da vida com diabetes que mais o estressam. Pode ser tomar os medicamentos ou testar os níveis de açúcar no sangue regularmente, ou se exercitar, ou não comer como você gostaria.

psicoterapia

Você pode conseguir ajuda para qualquer um desses problemas. Peça à sua equipe médica para indicar um psicoterapeuta. Conversar com um especialista pode ajudá-lo a dominar seus problemas. Você pode aprender novas maneiras de enfrentar ou até mudar seu comportamento.

 

Fontes:

– ADA – American Diabetes Association

– SBD – http://www.diabetes.org.br

 

 

 

 

 

 

4 Comentários


  1. Estou com deformações em locais que tomei insulina.
    Existe alguma coisa que eu possa fazer para não continuar acontecendo issi?Ou que pare esse processo?
    Tenho medo de ficar cheia de buracos na pele.
    Agradeço desde já.

    Betania

    Responder

  2. Sou diabética, já tive hipoglicemia, não sei se é por este motivo que de vez em quando tenho uma vontade muito grande de comer doce.

    Responder

  3. Obrigada por estas informações e pela atenção a mim dispensada.
    Maria de Betania A.Rodrigues.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.