Outono / Inverno: Cuidado redobrado com os pés!

O cuidado com os pés dos diabéticos nestas estações em que se utiliza na maioria das vezes calçados fechados deve ser redobrado no sentido de se observar quaisquer alterações. Deve-se estar sempre atento, pois o hábito de observar os pés pode evitar que pequenas alterações tornem-se problemas mais sérios no futuro.

A pessoa com pé diabético tem sintomas como: formigamentos; perda da sensibilidade local; dores; queimação nos pés e nas pernas; sensação de agulhadas; dormência; além de fraqueza nas pernas. Tais sintomas podem piorar à noite, ao deitar. Normalmente a pessoa só se dá conta quando está num estágio avançado e quase sempre com uma ferida, ou uma infecção, o que torna o tratamento mais difícil devido aos problemas de circulação.

Deve-se observar a coloração da pele, a sua temperatura e textura, bem como se há a presença de pequenas lesões em forma de bolhas ou descamações. Ao menor sinal de mudanças é recomendável procurar o médico.

Se a coloração da pele estiver mais escura que o normal e se a temperatura estiver mais fria que o normal, pode ser sinal de problemas vasculares periféricos. Isto ocorre principalmente em pacientes com Diabetes Mellitus do tipo 2, ou em pacientes diabéticos do tipo 1 que já têm a diabetes há muitos anos e apresentam complicações renais e na circulação periférica devido ao longo tempo de mau controle glicêmico.

As sequelas na circulação periférica podem ser dolorosas, mas a neuropatia (pé diabético), que causa insensibilidade, pode progredir silenciosamente. Por isso a necessidade de se observar atenta e constantemente os pés, podendo o próprio diabético se auto-examinar, ou então solicitar a terceiros (familiares ou cuidadores) que o examinem quando não se consegue realizar o exame sozinho.

Alguns outros cuidados devem ser tomados, como, por exemplo, quanto ao uso de meias (estas devem ter o mínimo de costuras e não devem ter elásticos apertados, pois estes funcionam como torniquetes ao apertarem o tornozelo ou a panturrilha). As meias devem ser trocadas todos os dias, e bem lavadas, para se evitar a umidade excessiva da pele, o que pode causar infecções por fungos (frieiras), que são muito comuns nesta época do ano, devido ao uso constante de calçados fechados.

É muito importante, também, evitar-se o uso de meias furadas ou cerzidas, principalmente por diabéticos com problemas de circulação periférica, pois os buracos ou costuras podem, com o atrito, causar lesões que, com o tempo, evoluem para calosidades, bolhas ou até úlceras, devido ao fato de o paciente ter pouca ou nenhuma sensibilidade periférica.

Deve-se cuidar também quanto ao uso de aquecedores ou lareiras, pois a falta de sensibilidade nos pés pode impedir que a pessoa sinta a temperatura alta demais, aumentando desta forma a possibilidade de uma queimadura, como já houveram relatos em países frios de casos de queimaduras graves que resultaram em amputações de membros inferiores.

Quanto aos calçados, é importante escolher sempre modelos confortáveis e com poucas costuras, observando-se sempre o espaço para a acomodação dos pés, que deve sempre respeitar o comprimento, a largura e a altura certa para os dedos, não devendo causar nenhum tipo de atrito. O ideal é comprar os sapatos sempre no final da tarde, quando os pés já estão um pouco mais inchados, para se evitar maiores surpresas ao se usar o sapato pela primeira vez.

A higienização dos pés deve ser feita sempre com água em temperatura morna, evitando-se os excessos (tanto para quente como para fria), e utilizando-se um sabonete neutro. Deve-se sempre secar bem os pés com uma toalha macia, principalmente entre os dedos, para evitar que o local fique úmido, o que causa o desenvolvimento de micoses. É importante também manter a pele sempre hidratada, evitando-se o uso de hidratante entre os dedos.

E, finalmente, o grande segredo para se evitar o desenvolvimento de complicações circulatótias ou a má cicatrização de ferimentos nos membros inferiores, é o automonitoramento constante da glicemia. Diabéticos cujos níveis glicêmicos são mais controlados são menos suscetíveis a desenvolver complicações do que aqueles que negligenciam o automonitoramento glicêmico. Portanto, controle sempre sua glicemia!

 

Fontes:

– SBEM (http://www.endocrino.org.br/10-coisas-que-voce-precisa-saber-sobre-pe-diabetico/)

– www.news.med.br

18 Comentários


  1. gostei de saber sobre pé diabético e de hj em diante vou cuidar mais dos meus pés,obrigada.

    Responder

  2. Tenho duas pessoas que amo com diabetes tipo 2,preciso de toda informação que puderem me enviar ,agradeço desde já . um grande abraço

    Responder

    1. Oi Lucia! Que ótimo! Fique sempre à vontade para nos mandar todas as suas dúvidas e sugestões, para que cada vez mais possamos esclarecer todos os assuntos importantes relacionados ao diabetes! Um grande abraço!

      Responder

  3. Ótimas orientações,como sempre.Muito obrigada.Parabéns por sua dedicação.

    Responder

    1. Oi Marilourdes! Que ótimo, fico muito feliz! Muito obrigada por nos acompanhar sempre! Fique à vontade em nos mandar todas as suas dúvidas e sugestões, para que possamos cada vez mais melhorar o nosso blog! Um grande abraço!

      Responder

  4. Sou enfermeira e me descobri diabética tipo 2 a pouco tempo, estou cada vez mais interessada pelos assuntos do blog e gostaria de parabenizar pelo seu trabalho.

    Responder

    1. Oi Renata! Que ótimo, fico muito feliz em lhe proporcionar esclarecimento sobre todos os assuntos relacionados ao diabetes! Fique à vontade para nos mandar todas as suas dúvidas e sugestões, para que assim possamos cada vez mais melhorá-lo! Um grande abraço!

      Responder

  5. Muito bom o esclarecimento sobre os pés diabéticos ,já tomava cuidado e agora vou tomar mais ainda…obrigada!

    Responder

  6. Boa noite!
    Eu tenho diabetes não tomo insulina só remedios.
    E um dos meus pés as vezês na sola d pé fica quente e uma marca vermelha onde doi
    e depois passa e some tudo, a sola do pé doi, o que sera isso?
    Um abraço e obrigado

    Responder

    1. Oi Lia! O que pode estar acontecendo é um início de neuropatia periférica em decorrência do seu diabetes, ou então um problema circulatório. Aconselho você a procurar o seu endocrinologista, para que ele investigue melhor para chegar a um diagnóstico e lhe passar o tratamento correto. Um abraço!

      Responder

  7. so tenho agradecer a vs pelas dicas.tenho os pes muito sensíveis,tanto embaixo em cima.fico desesperada.outra coisa tenho godura no fígado. meu ajude por favor!!!obrigada!bjs

    Responder

    1. Oi Celia! Tudo bem? Obrigada!! Aconselho você a estar pedindo para o seu médico que ele receite um medicamento que não interfira no seu metabolismo hepático, assim não sobrecarrega o seu fígado! Quanto aos seus pés, procure usar meias sem costura, que não causem atritos e não apertem, e sapatos bem confortáveis, que não causem nenhum tipo de atrito. É também muito importante consultar um podólogo. Um grande abraço!

      Responder

  8. Parabéns …vocês sâo exelentes…
    Estão ajudando e muito…pessoas com Diabetes…

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.