A minha vida com o Diabetes

Olá, tudo bem com você?

Hoje venho falar um pouco mais sobre mim. Sobre a minha história, sobre a minha vida com o diabetes, e sobre a relação que eu tenho com ele. Dividir um pouco da minha experiência e da minha rotina com você, querido seguidor.

Seja bem-vindo ao meu mundo!!!!

Sou natural de Santo André-SP, moro em SC ha 15 nos, tenho 28 anos, sou nutricionista graduada em pela FURB, e Educadora em diabetes, pela ADJ/SBD/IDF. Mesmo em ritmo de cidade grande, onde morávamos, meus pais sempre me mantiveram bastante ocupada: Fazia aulas particulares de estudo, natação, ballet, handebol, sempre tinha amigas em casa para brincar. Nunca ficava parada, nunca tive muito tempo para ficar em frente a televisão, por exemplo.

Com 8 anos de idade comecei a me sentir muito cansada, muito fraca.. Só queria dormir, sentia muito sono. Minha única motivação para sair da cama ou do sofá, eram a sede e a vontade de fazer xixi o tempo todo.Eu tomava muita, mas muita água, e vivia no banheiro.

Meus pais achavam que eu tava numa situação de stress, devido às minhas atividades físicas intensas.

Então, eles me deixaram descansar, dormir, e me tiraram de todas as atividades.

Mas eu não conseguia nem ir para a escola. E as mães das minhas amigas começaram a notar que eu estava emagrecendo muito e muito rápido, e só queria dormir.

Minha mãe resolveu me levar ao medico, ao se dar conta de que aquela situação não era normal. O medico aconselhou minha mãe a ir direto ao hospital comigo, pois ela suspeitava de diabetes.Foi o que minha mãe fez, e no caminho eu entrei em coma.

Foi um susto muito grande!!! Nós nunca tínhamos ouvido falar em diabetes, não havia ninguém na família, nem amigos com esse problema. E era tudo muito novo.

Mas tive sorte de meu medico endocrinologista incentivar que eu mesma aplicasse a minha insulina.

Logo eu já comecei a me aplicar. Os testes de glicemia eram feitos através da urina, e eu não tinha dificuldade nenhuma em fazer os testes. Embora sempre tivesse medo do resultado.

Minha mãe teve dificuldade com a minha alimentação. Mas a ADJ nos ajudou bastante com seus cursos de culinária diet, e com o acampamento para crianças e adolescentes diabéticos.

Aos poucos tudo foi se ajeitando, surgiram mais produtos diet, mais informações sobre o diabetes, e a tecnologia foi nos ajudando também. Hoje temos testes mais precisos, insulinas menos dolorosas, e sabemos que o exercício físico nos ajuda bastante.

O apoio da família e dos amigos da escola foi essencial, e isso fez com que eu aceitasse melhor a situação.

Tive alguns descontroles na adolescência, os quais me levaram a internação por cetoacidose, que hoje poderia ter sido evitado, se eu tivesse um educador em diabetes por perto.

E se eu tivesse o conhecimento e a conscientização que tenho hoje, sobre alimentação, eu poderia ter evitado até as insônias da minha mãe.

Hoje o diabetes é o meu trabalho. Não consigo me imaginar sem ele. É fonte de muito aprendizado, a cada dia. Eu faço tudo normalmente: Trabalho, estudo, me divirto com os amigos, namoro, pratico esportes radicais, frequento a academia, e minha alimentação é saudável como deveria ser a de todos.

A rotina de medir a glicemia e de aplicar insulina é como escovar os dentes e trocar de roupa. Fico feliz a cada resultado bom de glicemia e gosto ate mesmo do desafio de descobrir onde falhamos, e de mudar o que for preciso, quando o resultado não é tão bom.

É possível viver muito bem e muito feliz com diabetes. E, se eu posso, você também pode!!!

12 Comentários


  1. Parabéns pelo lindo depoimento e pelo sucesso no controle e a virada de mesa que desse da situação!!! Espero que a Letícia tenha o mesmo sucesso na carreira escolhida e a mesma sintonia com o DIABETES. Bjs..Lú

    Responder

  2. É o que procuro fazer, viver bem com a minha diabetes tipo 2 apesar dos seus altos e baixos, faço ginástica 2 vezes por semana, faço curso de pintura e frequento a 3 idade viajando sempre que posso.

    Responder

    1. Que maravilha Euzébia!!! Ter saúde depende não só de exercício físico, alimentação saudável, medicamento/monitoramento, depende também de equilíbrio emocional!! Se você está feliz, fazendo o que gosta, mais fácil de controlar sua glicemia.

      Obrigada pelo carinho de sempre!!!
      Bjo doce da nutri!!!

      Responder

  3. 2 anos adquiri a diabete eu minha irmã descobrimos através da urina no vaso, apareceu muitas formigas. Então fui para upa logo me atenderam minha glicemia estava 490 alta demais, os medicamentos foram metformina e glibenclamida e ass infantil.
    Mais o menos 1 ano passei aplicar insulina 30 pela manha noite 20 8 meses depois aumentou pra 40 manha 16 noite pra compensar.
    acho que sou diabético 1 ? tenho duvidas
    Gostaria de todas informações, sobre receitas como de tudo mais moderado e procuro caminhar 3 vezes na semana durante 30 minutos não mais que isso.

    Gostei muito de conhecer sua historia,
    Deus Abençoe Doutora Fernanda e toda sua família.

    Responder

    1. Oi Martiniano, fico muito feliz que tenha gostado do meu depoimento! Muito obrigada pelo carinho!!! Deus lhe abençoe também!

      Se está difícil de controlar, aumentando as doses de insulina, algo pode estar desfavorecendo seu controle (talvez na alimentação, ou outros fatores).

      Se te interessar, podemos agendar um atendimento. Posso te ajudar a equilibrar sua glicemia, e você alcançar o sucesso do tratamento, e o diabetes passar a ser uma tranquilidade no seu dia-a-dia.

      Contatos: (47) 96107595; nutrir.fer@gmail.com
      Estamos a disposição!

      Abraço

      Responder

  4. Ola tudo bem, também sou nutri e min há mãe também é diabética por isso eu sei da luta constante. Que bom que conheci você podemos trocar ideias.

    Responder

  5. Muito incentivador seu depoimento, confesso q senti até invejinha (branca é claro!!). Queria muito conseguir viver assim com a diabetes…mas não consigo de jeito nenhum…já faz 14 anos q sigo com essa saga!! É com os olhos cheios de lágrimas q peço ajuda, pois a diabetes já está se manisfestando claramente em meu corpo, mais exata nas minhas pernas!! bjos e desde já obrigada!!

    Responder

    1. Olá Carol, tudo bem? Muito legal o depoimento da nutri, né? Com os anos infelizmente vão aparecendo alguns probleminhas, isso é natural, mas não desanime não Carol, nunca é tarde para conseguirmos contornar a situação! Às vezes temos que ser meio que drásticos para conseguirmos manter o controle nos eixos, né? O diabetes é assim, temos que procurar compensar os “exageros” em nossa dieta aumentando um pouco a atividade física, ou então até mesmo deixando de consumir alguma outra fonte de carboidratos da dieta para que o controle não saia do prumo. Seria interessante você ter o acompanhamento de um (a) nutricionista, para que este (a) possa lhe ensinar a fazer estas “compensações”. Temos também que aprender a “ouvir” o nosso organismo. Nada melhor que o auto-conhecimento para que a nossa saúde se mantenha em ordem. Um grande abraço! 😀

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.